o nome deste blog era VIAJANDO PELO MUNDO, mas fiz tantas postagens sobre comidas e restaurantes que resolvi mudar o nome, se vc frequenta este blog , as informações sobre viagens esta no blog www.tambemqueroir.blogspot.com

o nome www.remacaroca.blogspot.com, surgiu entre amigos.........vamos fazer um blog sobre nossa futura viagem, ja que um mora no rio de janeiro, outro em recife, outro na italia e outra na irlanda ficou as iniciais, por idade, do mais velho ao mais jovem RE gina MA riza CA cau,ROsalvo CAmila.....
agora nao dá para mudar, ou melhor, eu nao sei fazer isso rsrsrsr.....................
Errar é humano. Vadiar é parisiense.

Victor Hugo

1 de mar de 2010

"Tete quer ser baliza, e Dudu quer ir a BUENOS AIRES..."

não me perguntem por que me lembrei de TETE, que nem ao menos tive ainda o prazer de conhecer, mas achei que tinha algo em comum.........
Acho que o blog os DESTEMPERADOS, é o suficiente para 5 dias, o que vc acham......

Restaurantes de Buenos Aires: 3 roteiros by Destemperados

Casa Cruz, Buenos Aires. Foto: DestemperadosEm mais um post de utilidade pública, os Destemperados facilitam a vida de quem não quer passar dias destrinchando o (excelente) Guia Óleoem busca dos restaurantes mais bacanas de Buenos Aires.
Os esfomeados acabam de criar roteirinhos prontos para passar três dias na cidade praticamente sem sair da mesa. Como sempre exagerados, já fizeram logo três roteiros diferentes, para três tipos de apetite.
Tem o roteiro para gourmets de primeira viagem, o roteiro de lugares onde turistas raramente são vistos e o roteiro top gourmand, com o melhor do melhor da cidade, na opinião dos Destemps.
Vou piratear a seleção dos guris, com links para os posts em que eles dão o serviço completo de cada lugar (incluindo horários e necessidade ou não de reserva).
Roteiro 1a. viagem
Dia 1: almoço no Miranda, em Palermo Hollywood; chá no Alvear, na Recoleta; jantar noCasa Cruz, em Palermo Soho.
Dia 2: almoço no Cluny, em Palermo Soho; cupcakes no Muma’s, em Palermo Soho; jantar no Sucre, em Belgrano.
Dia 3: almoço nipo-peruano no Osaka, em Palermo Hollywood.
Bar: Uriarte, em Palermo Soho (que também pode substituir qualquer uma das refeições)
Sorveterias: Freddo e Persicco
Roteiro off-Broadway
Dia 1: almoço no Restó da Sociedad Central de Arquitectos, no Barrio Norte; chá na livrariaEterna Cadencia, em Palermo Hollywood; jantar no Bistró Inovación da Casa Coupage, em Palermo Soho.
Dia 2: almoço no Bar 6, em Palermo Soho; lanche na Mark’s Deli em Palermo Soho; jantar no Club 647 em San Telmo.
Dia 3: sujinhos, sandubas, empanadas, panchos — escolha um deles no roteiro do Geraldo Figueras
Bar: Lupita em Las Cañitas
Sorveterias: Scannapieco em Palermo e La Veneciana em Puerto Madero
Roteiro top gourmand
Dia 1: almoço no Olsen, em Palermo Hollywood; lanche com embutidos de primeira noValenti, em Belgrano; jantar no Gran Bar Danzón, no Barrio Norte.
Dia 2: almoço-degustação na Vinería Gualterio Bolivar, em San Telmo; lanche no I Central Market, em Puerto Madero; jantar de caças no El Baqueano, em San Telmo.
Dia 3: almoço no Social Paraíso, em Palermo Soho.
Sorveterias: Un’Altra Volta e Munchi
Leia:
Casa Cruz Uriarte, 1658 - Palermo Soho Buenos Aires Fone: 4833.1112 www.casa-cruz.com
Cluny El Salvador, 4618 Palermo Soho – Buenos Aires – Argentina (54 11) 4831.7176 Aceita todos os cartões Localização no Mapa
Miranda Costa Rica 5602, y Fitz Roy - Palermo Buenos Aires Fone: (54 11) 4771.4255 http://www.parrillamiranda.com/ Todos os cartões


esse me parece maravilhoso, VALENTI




Ok. Finalmente os excessos cometidos na postura de comensal descontrolado vingaram. Morri. Mas ao invés de peregrinar por um inferno pessoal como Dante, devo ter sido um anjo pois isto aqui é o paraíso. É sério, um lugar onde os objetos de decoração são presuntos, queijos, salames, lingüiças e chorizos não merece adjetivo inferior a este. Ainda vou decorar meu quarto com presuntos San Daniele.
Cientes do fascínio que a casa tem, todos os atendentes mostram-se solícitos, mas lhe dão o devido tempo e espaço para observar a vitrine, como se fossem curadores de um salão impressionista. A cada passo mais próximo descobrem-se mais detalhes, como diferentes tipos de azeitonas, cogumelos e castanhas, todos disponíveis para uma pequena degustação, mas sufocados pela presença imperial dos prosciuttos.
A educação deixo em casa e literalmente enfio a cara na vitrine, para então recuar alguns centímetros pois é visível que outros tão curiosos e de engordurados dedos comportaram-se da mesma maneira. Mais perdido que cego em tiroteio, tento acompanhar a colossal variedade de cortes disponíveis, mas é frustrante. Não há tempo, ainda não.
Mas a casa ameniza tais desorientados glutões e oferece mesas e um cardápio com excelentes opções de sanduíches e tábuas. Bem acompanhado da argentiníssima Amanda, tem início a sessão com as mini “ai-que-fofas”empanaditas de queijo, absolutamente perfeitas.
Huuuuuuuuuuum... queeeeeeijooooooo.....
Em seguida um sanduichinho de salmão defumado do Pacífico com mascarpone e alcaparras. Pequeno, mas uma bomba.
E como nem tudo na vida é inho, vamos às justificativas para os quilos a mais.Um Blue Cheese & Lomo Praga, que trata-se de um enorme pão francês com lombo defumado, queijo azul de Santa Fé, tomates secos e mostarda Dijon.
E por fim o pedido que me deixou com vergonha tamanha a sujeira que fiz.Antipasto Giorgio, o mesmo pão francês com Sopresatta (um salame italiano curado), mussarela Fior di Latte, berinjelas a Siciliana, pimentões assados, azeitonas verdes, azeitonas pretas, corações de alcachofra e manjericão. Com a quantidade de ingredientes que desabaram na mesa era possível montar uma tábua.
Como eu acredito que pochete em breve estará em voga, ainda passei no balcão e levei, hum, ahn, uma que outra coisinha para casa. Mas isso já é outra história. Ao levantar, fecho o botão da calça (ok, dois botões) e vou até o caixa encerrar a função, mas até o simples ato de pagar a conta aqui é uma tentação. Sem mais palavras.
Mas resisto às tentações de boca de caixa e encerro as atividades, pagando uma conta de R$30. Na verdade, um ingresso no valor de R$30 de ida e volta para o velho continente, e mais um ponto a favor de que certos ditados são realmente populares por alguma certeira razão.
Valenti




Vuelta de Obligado 1820 (La Vineria de Gualterio Bolívar Bolivar, 865 - San Telmo Buenos Aires Fone: (54 11) 4361.4709 www.lavineriadegualteriobolivar.com Todos os cartões. La Pampa) – Belgrano




Cap. Federal, Buenos Aires




Fone: 4783-1933




este tbem me pareceu interessante......, cozinha molecular, veja com detalhes nos Destemperados, senão daqui a pouco vao dizer que estou copiando, e não adorando as informações, preço atual 190,00 reais menu degustacion
La Vineria de Gualterio Bolívar Bolivar, 865 - San Telmo Buenos Aires Fone: (54 11) 4361.4709
Todos os cartões





Três ótimos novos restaurantes em Buenos Aires,


 pela foodie Constance Escobar


por Alexandra Forbes em 27/06/2009 às 21:06



Fotos: Constance Escobar Constance Escobar, a correspondente carioca deste blog, acaba de voltar de Buenos Aires. Pedi a ela que nos contasse quais as novidades gastronômicas mais bacanas de Buenos Aires… Nas palavras dela: “Embora os suculentos cortes de carne sejam o alvo de muitos gourmets que se dirigem a Buenos Aires, a verdade é que o cenário gastronômico da capital argentina vai muito além das boas parrillas. A alta gastronomia e a cozinha de vanguarda vêm marcando presença na cidade e, nessa minha última visita, não pude deixar de conferir alguns novos endereços. Recém aberto, o Astrid y Gastón (na foto acima), filial do restaurante de alta gastronomia do chef peruano Gastón Acurio, é programa obrigatório no roteiro de qualquer gourmet que se preze. A casa abriu as portas em Palermo, um dos bairros mais charmosos da cidade. O lindíssimo casarão antigo abriga salões extremamente elegantes. O instigante cardápio, que apresenta uma infinidade de sabores ainda pouco conhecidos do paladar do brasileiro, é um verdadeiro convite. As entradas frias, como as causas e cebiches, são uma bela amostra das surpresas com que a gastronomia peruana pode brindar nossos sentidos. Sobressai a delicadeza no uso dos ajís: apesar de onipresentes, são empregados com tamanho equilíbrio que conferem extrema personalidade aos pratos, sem que estes, no entanto, percam a leveza do que vem do mar. Seguindo o caminho em direção ao que há de novo e interessante na cena portenha, chegamos ao nostálgico bairro de San Telmo. Em meio à poesia surrada, derramada nas ruas de paralelepípedos, esconde-se um ícone da cozinha de vanguarda em Buenos Aires:La Vinería de Gualterio Bolívar. A casa de Alejandro Diglio tem sido aclamada como uma das cozinhas mais inventivas da capital argentina. A edição de maio da revista Food & Wine acaba de eleger os 20 restaurantes mais interessantes da cena gastronômica mundial em 2009 e… Adivinhem? La Vinería está lá. E não é pra menos. Alejandro revela-se um chef de grande competência. Trabalhou no El Bulli, de Ferran Adrià, por duas temporadas. E trouxe na bagagem, acreditem, muito mais do que perícia em desconstruções e espumas. Pra falar a verdade, os toques da dita cozinha tecnoemocional nos pratos da Vinería foram o que menos me impressionou. Garantem uma certa ludicidade, mas o que realmente me encantou foi o cuidado com que se tratam os ingredientes, revelados em texturas e sabores que marcam os sentidos. O mesmo cuidado, quase religioso, revela-se no trato com os vinhos. O salão extremamente simples deixa claro o que o foco está no que vem da cozinha e da adega. O menu de 11 passos é uma boa amostra do trabalho de Alejandro e conduz o comensal a uma verdadeira viagem. Deixo aqui, ainda, uma dica que não tive a felicidade de conferir pessoalmente, mas na qual apostaria minhas fichas: o restaurante Aramburu. O chef Gonzalo Aramburu trabalhou em cozinhas como a de Daniel Boulud e Charlie Trotter e apresenta um menu-degustação contemporâneo. É considerado um dos grandes segredos da cidade e estava na minha lista dos lugares a não perder. Coincidentemente, conversando com o chef Alejandro Diglio, pedi que me sugerisse um restaurante que estivesse entre os seus favoritos e não deu outra: Aramburu. Como, em viagens, nunca conseguimos cumprir tudo o que nos prometemos (o que é gostoso, na verdade, pois fica sempre a vontade de voltar), acabei não indo ao Aramburu. Mas fica aqui a sugestão.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário