o nome deste blog era VIAJANDO PELO MUNDO, mas fiz tantas postagens sobre comidas e restaurantes que resolvi mudar o nome, se vc frequenta este blog , as informações sobre viagens esta no blog www.tambemqueroir.blogspot.com

o nome www.remacaroca.blogspot.com, surgiu entre amigos.........vamos fazer um blog sobre nossa futura viagem, ja que um mora no rio de janeiro, outro em recife, outro na italia e outra na irlanda ficou as iniciais, por idade, do mais velho ao mais jovem RE gina MA riza CA cau,ROsalvo CAmila.....
agora nao dá para mudar, ou melhor, eu nao sei fazer isso rsrsrsr.....................
Errar é humano. Vadiar é parisiense.

Victor Hugo

21 de nov de 2011

uma noite especial em Paris com Lu e Claudia, que estavam chegando da Belgica trazendo 'DEUS' .....a cerveja esperada


ainda nao consegui escrever sobre os lugares maravilhosos que fui, totalmente fora do roteiro turistico.
eSSE TEXTO COPIEI DE UMA AMIGA QUE ESTAVA JUNTO, E JA POSTOU.....LU, PLAGIO, COPIA...

Mas a cerveja mais incrível, a mais especial que já tomei em toda a minha vida, foi a “Deus” (belga, graduação alcóolica de 11,5%!). Não sei se algum de vocês já teve a chance, primeiramente, de VER uma garrafa desta cerveja, que mais parece uma champanhe, linda.

Loja em Brugge que mais parecia um museu de cervejas
 “Deus”, escolhida a dedo entre milhares de cervejas diferentes, de todos os sabores e cores possíveis e imagináveis. Uma única garrafa (que tem 750ml) saiu a 17,80 euros. No Brasil ela custa entre R$ 160,00 e R$ 230,00, segundo matéria publicada na Folha de São Paulo em junho passado. Portanto, paguei uma pechincha por ela!

Cerveja belga Deus, inesquecível
O fato é que a comprei a pedido de Regina e Dudu, casal de amigos que encontraria, primeiramente na Champagne, e em seguida, em Paris, alguns dias depois. Dito e feito. Decidimos abri-la em Paris, no apartamento deles, durante uma fantástica degustação que fizemos de queijos franceses. Esperamos ela gelar bastante, tiramos a rolha (isto mesmo, rolha, ela não tem tampa igual às outras, é engarrafada exatamente igual a uma champanhe e faz o mesmo barulho quando a tiramos) e tomamos em taças “flute”. Que sensação incrível! A bebida era um misto de cerveja e champanhe, visual e gustativamente falando. Com o mesmo teor de álcool, borbulhas persistentes, sabor frutado, cor clara e cristalina. Era uma “cerveja-champanhe”. O máximo! E ficou ainda melhor acompanhada de um Camembert da Normandia, o melhor camembert produzido na França (um dos que recebe o selo AOC – Appellation d’origine contrôlée), e claro, uma baguete fresquinha, comprada e levada para a casa do Dudu conforme manda o figurino (francês): debaixo do braço, ou melhor, da axila, hahahahaha!!!!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário